Soldados matam 50 combatentes do Taliban no Afeganistão

Soldados afegãos e datropa da Otan mataram cerca de 50 combatentes do Taliban ecercaram até 250 outros perto da cidade de Kandahar, no sul dopaís, disse o chefe de polícia da província na quarta-feira. Também houve confrontos no leste, no oeste e no norte dopaís, e os insurgentes se concentraram em números grandes pelomenos em uma outra região, num aparente recrudescimento daviolência, com a aproximação do inverno, quando costuma havercerta calmaria. Combatentes do Taliban entraram no distrito de Arghandab, aapenas 12 quilômetros de Kandahar, na semana passada, depois damorte natural de um líder tribal pró-governo na área, há duassemanas, que deixou a região desprotegida. O Exército afegão e os soldados da Isaf (ForçaInternacional de Assistência à Segurança), liderada pela Otan,lançaram uma operação esta semana para retomar o controle daárea, disseram autoridades locais. Cerca de 50 integrantes do Taliban foram mortos na área deArghandab desde segunda-feira, e pelo menos 25 ficaram feridos,segundo Sayed Agha Saqib, chefe de polícia de Kandahar. Maspermanecem no local entre 200 e 250 insurgentes do Taliban. "O resto dos combatentes está cercado e não tem nem comoescapar e nem como receber reforço," disse ele à Reuters. Trêspoliciais afegãos e um soldado do Exército afegão tambémmorreram, afirmou. "Achamos que eles estão indo para a cidade de Kandahar",afirmou o prefeito Eric Landry numa entrevista coletiva nacidade, que na prática servia de capital quando o Talibangovernava o país, entre 1996 e 2001. "O que eles estão fazendo é cercando os centros urbanos,estão tentando afetar o governo desses distritos. Assim, elesestão tentando conseguir mais liberdade de movimento nodistrito de Arghandab e talvez tentar chegar à cidade," disse. Mas, segundo Landry, Kandahar não está correndo riscoimediato. Foi uma das tentativas mais organizadas do Taliban de tomarum centro urbano, disse ele. Depois da derrota para as tropas lideradas pelos EUA em2001, o Taliban se reagrupou, segundo analistas, e voltaram alançar sua insurgência há dois anos. Nos últimos dois anos, cerca de 7.000 pessoas morreram nosconfrontos no Afeganistão. (Reportagem adicional de Mirwais Afghan e Finbarr O'Reillyem Kandahar, Saeed Ali Achakzai em Spin Boldak, SharafuddinStanikzai em Herat e Hamid Shalizi e Jon Hemming em Cabul) REUTERS MS

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.