Soldados ordenam que moradores abandonem Sadr City

Com alto-falantes, militares iraquianos aglomeram população de favela em Bagdá em estádio de futebol

Agência Estado e Associated Press,

08 de maio de 2008 | 10h35

Soldados iraquianos pela primeira vez ordenaram aos moradores de Sadr City, um empobrecido bairro de Bagdá onde vivem cerca de 2,5 milhões de pessoas, a saírem de suas casas. A ordem indica a iminência de uma nova ofensiva militar contra milicianos xiitas radicados na região em meio a confrontos com as forças de segurança iniciados há quase dois meses. Com a ajuda de alto-falantes, soldados iraquianos orientavam os moradores da região sudeste de Cidade Sadr, que já está praticamente abandonada, a se dirigirem a um estádio de futebol próximo, relataram habitantes. O Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) calcula que cerca de 6 mil pessoas já foram obrigadas a abandonar suas casas em Cidade Sadr, a maior parte delas no setor sudeste do bairro. O Exército dos Estados Unidos reforçou as forças aérea e terrestre na região em uma iniciativa para reduzir a influência dos milicianos xiitas sobre Sadr City, um bastião do clérigo radical Muqtada al-Sadr. A atual série de confrontos começou no fim de março, quando governo iraquiano deflagrou uma ofensiva contra grupos armados xiitas em Basra, no sul do Iraque. A violência rapidamente chegou às áreas xiitas de Bagdá, concentrando-se depois em Sadr City.

Tudo o que sabemos sobre:
IraqueEUASadr City

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.