AAREF WATAD / AFP
AAREF WATAD / AFP

Soldados turcos são mortos pelo regime sírio; Turquia ataca em retaliação

Governo turco diz que matou 'entre 30 e 35' soldados da Síria

Redação, O Estado de S.Paulo

03 de fevereiro de 2020 | 05h33

TURQUIA - Quatro soldados turcos foram mortos e nove ficaram feridos por tiros do regime sírio na região de Idlib, no noroeste da Síria, nesta segunda-feira, 3, anunciou o Ministério da Defesa turco. "Quatro de nossos irmãos de armas caíram como mártires e nove foram feridos, um deles seriamente, por tiros de artilharia intensos por forças do regime", disse o ministério em comunicado, acrescentando que o exército turco se replicou e "destruiu vários alvos".

O porta-voz do presidente Recep Tayyip Erodgan, Ibrahim Kalin, também disse que o exército turco reagiu e sugeriu que novas medidas de retaliação seriam tomadas. "O sangue de nossos soldados não ficará sem vingança, os culpados serão responsabilizados", afirmou ele no Twitter.

A Turquia destacou militares em 12 postos de observação na região de Idlib, no âmbito de um acordo concluído com a Rússia para acabar com a violência no último reduto dominado por jihadistas e rebeldes na Síria. Mas as forças do regime de Bashar Al Asad, apoiadas por Moscou, intensificaram sua ofensiva nesta província por várias semanas e multiplicaram os atentados.

Ancara, que apóia os grupos rebeldes sírios, levantou o tom nos últimos dias e criticou a Rússia, com quem ele colabora estreitamente na Síria. Em outro comunicado, o presidente Erdogan disse que forças turcas mataram "entre 30 e 35" soldados do regime sírio em resposta ao bombardeio. O Observatório Sírio para os Direitos Humanos (OSDH) relatou a morte de seis soldados sírios. "As forças turcas dispararam dezenas de foguetes em um ataque de retaliação que continuou até o amanhecer contra as forças do regime no sul da cidade de Saraqeb", disse esta ONG, que tem uma ampla rede de contatos na Síria.

A Turquia pediu à Rússia que não se interponha contra as forças do regime sírio, que matou quatro de seus soldados no noroeste da Síria na segunda-feira. "Quero abordar especialmente as autoridades russas: nosso interlocutor não é você, mas o regime (sírio). Não tente atrapalhar", disse Erdogan. /AFP

Tudo o que sabemos sobre:
Síria [Ásia]TurquiaMoscou [Rússia]

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.