Suicida ataca reunião de paz entre xiitas e sunitas e mata 15

Líderes tribais dialogavam em Baquba; o chefe de polícia da cidade foi morto e o governador de Diyala ferido

Agências internacionais,

24 de setembro de 2007 | 16h20

Um homem-bomba detonou os explosivos que carregava durante uma reunião de reconciliação entre líderes tribais xiitas e sunitas em Baquba nesta segunda-feira, 24. Ao menos 15 pessoas morreram, entre elas o chefe de polícia da cidade e diversos ficaram feridos. O chefe de polícia de Baquba, general Ali Dalyan, e o chefe de operações da província de Diyala, general Najib al-Taie, estavam entre os mortos. Várias outras autoridades estavam entre os 23 feridos, como o governador Raad Mullah Jawad, informaram autoridades. A maioria das vítimas estava no jardim da mesquita lavando as mãos e bebendo chá antes de uma pausa no encontro para o banquete de iftar, a refeição para quebrar o jejum diário do amanhecer ao pôr-do-sol durante o mês sagrado do Ramadã.  O atentado foi um desafio à estratégia dos Estados Unidos de fazer líderes das duas seitas islâmicas se voltarem contra extremistas, como foi feito com relativo sucesso na província de Anbar, a oeste da capital. O atacante detonou um colete de explosivos por volta das 20h30 (locais) no momento em que guardas promoviam buscas nele na entrada da mesquita xiita.

Tudo o que sabemos sobre:
Ataque suicidaxiitassunitasIraque

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.