Suicida mata 15 em reunião de conselho no Iraque

Terceiro maior atentado na semana contra encontros municipais deixa outras 17 pessoas feridas

Reuters e Efe,

26 de junho de 2008 | 07h14

Um suicida detonou uma bomba durante a reunião de um conselho tribal na cidade iraquiana de Garma na quinta-feira, matando 15 pessoas, entre elas o presidente do órgão, segundo a polícia. Outras 17 pessoas ficaram feridas na explosão, disse o coronel Dawood al-Marawi, porta-voz da polícia da vizinha Falluja.   Segundo o coronel Fawzi Fraih, diretor de defesa civil da província de Anbar, afirmou que os líderes eram membros de um grupo contra a ação da Al-Qaeda no Iraque e estava reunido com americanos quando o ataque foi realizado.   O Exército americano não confirmou se cidadãos americanos estavam no local no momento do atentado - o terceiro maior contra reuniões de conselhos municipais nesta semana no Iraque. A polícia afirmou que o homem-bomba entrou no prédio pela porta dos fundos, mas ainda não está claro como ele burlou a equipe de segurança do local.   Na terça-feira, dez pessoas morreram, entre elas quatro americanos e seis civis iraquianos, depois que uma bomba explodiu em um escritório do governo local em Bagdá. Os americanos eram dois soldados e dois civis. Um dos civis era um funcionário do Departamento de Estado, o outro trabalhava para o Departamento de Defesa, segundo informações da embaixada dos Estados Unidos.   O atentado desta quinta é o maior ataque suicida em Al-Anbar desde que, em 31 de maio, um homem detonou seu cinto de explosivos em um centro de recrutamento da Polícia em Faluja, deixando 25 mortos e mais de 45 feridos.   Os terroristas da rede da Al Qaeda no Iraque continuam ativos na província de Al-Anbar, apesar do cerco que sofrem há dois anos por parte dos Conselhos de Salvação, milícias de voluntários sunitas que  combatem a organização terrorista financiados e apoiados por Bagdá e Washinton.

Mais conteúdo sobre:
Iraque

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.