Sunitas iraquianos realizam grandes protestos antigoverno

Milhares de manifestantes da minoria muçulmana sunita do Iraque foram às ruas depois das orações desta sexta-feira em uma demonstração de força contra o primeiro-ministro xiita, Nuri al-Maliki, mantendo o bloqueio de uma semana de uma importante rodovia.

Reuters

28 de dezembro de 2012 | 18h36

Cerca de 60.000 pessoas bloquearam a principal via até Falluja, 50 quilômetros a oeste da capital, incendiando a bandeira do Irã xiita e gritando "fora, fora Irã! Bagdá permanece livre" e "Maliki, seu covarde, não seja aconselhado pelo Irã."

Muitos sunitas, cuja comunidade dominou o Iraque até a queda de Saddam Hussein em 2003, acusam Maliki de se recusar a compartilhar o poder e de estar sob a influência de seu vizinho não-árabe.

"Não deixaremos este lugar até que todas as nossas exigências sejam cumpridas, inclusive a derrubada do governo Maliki", disse Omar al-Dahal, de 31 anos, em um protesto em Ramadi, onde mais de 100.000 manifestantes bloquearam a mesma rodovia que leva às vizinhas Síria e Jordânia.

As exigências dos ativistas incluem um fim à marginalização dos sunitas, a abolição das leis antiterrorismo que eles dizem que estão sendo usadas para alvejá-los e a libertação dos detidos.

(Reportagem de Kamal Naama e Raheem Salman)

Tudo o que sabemos sobre:
IRAQUESUNITASPROTESTOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.