Suposto avião dos EUA mata 20 militantes no Paquistão

Aeronave não-tripulada teria atingido reduto do principal comandante Taleban no país, Baitullah Mehsud

ALAMGIR BITANI, REUTERS

27 de outubro de 2008 | 07h56

Um avião teleguiado que seria dos Estados Unidos disparou nesta segunda-feira, 27, sobre uma região na fronteira do Afeganistão que serve de refúgio para um líder do Taliban no Paquistão, matando até 20 militantes, incluindo estrangeiros, de acordo com autoridades locais.    Outros ataques realizados por aviões do mesmo tipo que também seriam dos EUA já mataram dezenas de pessoas do lado paquistanês da fronteira com o Afeganistão, desde o início de setembro. "Dois mísseis foram disparados, eles atingiram duas casas em Shakai e até 20 militantes foram mortos", disse um agente de inteligência do Paquistão, referindo-se à região no Waziristão do Sul que serve de reduto para o líder do Taleban no Paquistão Baitullah Mehsud. O Pentágono disse não ter informações sobre a derrubada do avião teleguiado. As forças norte-americanas no Afeganistão, frustradas com os crescentes ataques na fronteira com o Paquistão, aumentaram as ofensivas contra o país, com mísseis e uma operação de comando desde o começo de setembro. Nenhum comandantes importante da Al-Qaeda ou do Taleban foi morto. Importante aliado da campanha norte-americana contra a militância, o Paquistão se opõe aos ataques norte-americanos em seu território, dizendo que eles violam sua soberania e aumentam o apoio da população local aos militantes. Horas antes do ataque, o primeiro-ministro Yousaf Raza Gilani reiterou a oposição paquistanesa aos ataques norte-americanos, dizendo que eles arruínam os esforços dos governo para isolar os militantes e aumentar o apoio do público a estes esforços. Mehsud é o mais notório comandante insurgente do Paquistão, e é acusado de ser responsável por uma série de ataques suicidas no país, incluindo o assassinato da ex-premiê Benazir Bhutto, em dezembro do ano passado. Ele também apóia os Taleban que combatem as forças lideradas pelos Estados Unidos no Afeganistão.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAPaquistãoAfeganistão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.