Youssef Basawi/Efe
Youssef Basawi/Efe

Suspeitos de matar líder do Hamas eram europeus, diz polícia

Movimento de Resistência Islâmica acusa Israel pela morte de Mahmoud al-Mabhuh nos Emirados Árabes

Efe,

29 de janeiro de 2010 | 17h03

A Polícia de Dubai suspeita que o dirigente do Hamas Mahmoud al-Mabhuh foi assassinado por um grupo de criminosos cujos integrantes eram, na maioria, europeus, informaram fontes oficiais.

Mabhuh foi assassinado em 20 de janeiro, em um hotel de Dubai, horas após chegar a essa cidade dos Emirados Árabes Unidos (EAU). O Hamas acusou Israel de estar por trás desse crime.

Segundo o Escritório de Informação do emirado de Dubai, agora estão sendo feitas as investigações com a Interpol para conseguir deter o mais rápido possível os suspeitos do crime e levá-los à Justiça.

Mabhuh, um dos fundadores do Hamas e que hoje foi enterrado em um campo de refugiados palestinos próximo a Damasco, chegou a Dubai na tarde de 19 de janeiro passado, procedente de um país árabe, mas nem o Hamas nem Dubai explicaram as razões da viagem.

Segundo a declaração do Governo de Dubai, o corpo foi encontrado no dia seguinte em um hotel dessa cidade. As autoridades de Dubai acreditam que os autores do crime tinham abandonado esse emirado com destino desconhecido.

"O crime provavelmente foi cometido por um grupo de criminosos que seguia os passos do dirigente do Hamas antes de chegar aos EAU", diz na declaração oficial um responsável dos serviços de segurança não-identificado.

Os supostos assassinos deixaram pistas que, segundo as autoridades dos EAU, podem chegar a sua localização. "A fonte de segurança disse que a investigação inicial demonstrou que a maioria dos suspeitos tinham passaportes europeus", acrescenta a nota.

 

 

Tudo o que sabemos sobre:
HamasIsraelDubaial-Mabhuh

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.