Taleban mata 10 franceses em Cabul; Sarkozy viaja à região

Outros 21 soldados ficam feridos; é a maior baixa da França em um combate desde 2001

Reuters,

19 de agosto de 2008 | 10h24

Militantes do Taleban mataram 10 soldados franceses e feriram outros 21 em uma batalha a leste de Cabul, a capital afegã, disseram militares da França e do Afeganistão nesta terça-feira, 19. Desde 2001, a França não sofria tantas baixas em um só combate. O governo francês anunciou que o presidente Nicolas Sarkozy viajará na terça-feira ao Afeganistão. "Minha determinação está intacta. A França está determinada a continuar a luta contra o terrorismo, pela democracia e a liberdade. A causa é justa", disse Sarkozy em nota. Nos últimos meses, o Taleban se aproxima de Cabul, tornando perigosas as viagens para o sul, o oeste e o leste do país. Os soldados franceses, parte do contingente da Otan, foram mortos em uma batalha que começou na segunda-feira, cerca de 60 quilômetros a leste de Cabul, segundo uma fonte militar afegã. A França tem 1.670 soldados na força da Otan - enviou 700 adicionais neste ano, atendendo ao pedido dos EUA a seus aliados, para tentar conter a onda de violência no país. Desde o início da presença militar ocidental no Afeganistão, em dezembro de 2001, a França havia tido 12 soldados mortos. Os 10 mortos e 21 feridos desta semana pertenciam ao Oitavo Regimento de Infantaria Pára-Quedista dos Fuzileiros Navais, segundo um oficial que pediu anonimato. O grupo fazia uma patrulha perto de Sarobi quando foi atacado. O ministério afegão da Defesa disse que 27 insurgentes foram mortos ou feridos nos confrontos, e que pelo menos dois soldados afegãos ficaram feridos. Em seu site, o Taleban disse que 20 soldados dos EUA haviam sido mortos no combate, que teria começado na noite de segunda-feira com uma emboscada contra um comboio de militares afegãos e estrangeiros. Não foi possível confirmar a informação. A insurgência Taleban ressurgiu em 2005, quatro anos depois de o grupo ser derrubado na retaliação norte-americana aos atentados de 11 de setembro.  

Tudo o que sabemos sobre:
AfeganistãoTaleban

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.