Taliban se diz otimista em resolver a crise dos reféns

O diálogo entrerepresentantes do Taliban e diplomatas da Coréia do Sul sobreos 21 reféns coreanos em poder do grupo extremista está indobem neste sábado, segundo negociadores do Taliban. Eles dizemacreditar que libertarão os cativos. "Nós asseguramos que todos os coreanos serão libertados eirão para casa", afirmou Mawlavi Nasrullah, um dos doisnegociadores do Taliban. "E os integrantes presos do Taliban vão para casa também",disse ele à imprensa na cidade de Ghazni, onde os diplomatascoreanos e o Taliban se reúnem desde o fim da sexta-feira. O outro negociador do Taliban, Qari Bashir, declarou:"Estamos muito esperançosos que esse tema será resolvido hojeou amanhã". No entanto, uma autoridade governamental em Seul afirmouque a libertação dos reféns provavelmente não se dará nesseprazo. "Esperamos que o Taliban os liberte o quanto antes, masnão vemos isso como algo que deve acontecer hoje ou amanhã",afirmou a fonte, sob a condição de anonimato. Não está claro como, com que autoridade, os negociadorescoreanos poderão atender a demanda do Taliban, ou seja,viabilizar que integrantes presos do grupo sejam trocados pelosreféns. Os reféns coreanos, integrantes de um grupo cristão devoluntários, foram seqüestrados quando num ônibus, na cidade deGhazni, há mais de três semanas. O negociador do Taliban Bashirdisse que os reféns estão bem. Foi o prefeito o de Ghazni, Merajuddin Pattan, queanunciara no início deste sábado que um segundo dia denegociações estava em andamento. "As conversas continuam. Não chegamos a nenhum resultado",afirmara. O Taliban já matou dois reféns homens e ameaça matar maisdos restantes 21, 18 deles mulheres, caso prisioneirosintegrantes do grupo não sejam libertados. O governo sul-coreano se encontra sob pressão internaintensa para assegurar a libertação dos reféns, mas não temautoridade própria para atender ou recusar a reivindicação doTaliban. Autoridades afegãs e aliados, como os Estados Unidos, tememque a troca de membros presos do Taliban pelos reféns incentivemais seqüestros. Por isso, as autoridades afegãs chegaram a descartar atroca e a ameçar a libertação dos reféns pela força. O governo afegão, agora, porém, garante a segurança dosnegociadores do Taliban em Ghazni, onde o prefeito da cidadeparticipa do diálogo. "Não acho que termina hoje, pode terminar amanhã", disse oprefeito à Reuters. (Colaboraram Hamid Shalizi, de Cabul, e Cheon Jong-woo, deSeul)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.