Trabalhistas de Israel apóiam moção para dissolver Parlamento

Cresce a pressão pela renúncia do primeiro-ministro Ehud Olmert, envolvido em investigação por corrupção

Agência Estado e Associated Press,

23 de junho de 2008 | 13h40

O Partido Trabalhista de Israel decidiu nesta segunda-feira, 23, apoiar uma moção para dissolver o Parlamento. Com isso, cresce a pressão pela renúncia do primeiro-ministro Ehud Olmert, envolvido em uma investigação por corrupção.   Os Trabalhistas integram a coalizão governista de Olmert. Sem o apoio dessa sigla, o primeiro-ministro perde a maioria parlamentar. Os partidos de oposição devem apresentar a moção de censura na quarta-feira.   Os parlamentares trabalhistas decidiram apoiar o texto. Porém, mesmo que o projeto passe, teria que ser aprovado novamente em três votações diferentes. Com isso, Olmert teria tempo para tentar salvar seu governo intacto. O Partido Trabalhista já anunciou que só permanece no governo se o partido de Olmert, o Kadima, apontar outro nome para o cargo de primeiro-ministro.

Mais conteúdo sobre:
IsraelEhud Olmert

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.