Traidores devem ser esmagados, diz Al-Qaeda em vídeo

Segundo o número 2 do grupo terrorista, grupos sunitas ajudam as forças militares americanas

Associated Press e Agência Estado,

17 de dezembro de 2007 | 01h58

Um novo vídeo colocado nesta segunda-feira, 17, na internet mostra o número 2 da Al-Qaeda, Ayman al-Zawahiri, advertindo sobre a existência de "traidores" entre os insurgentes no Iraque. Ele pede às tribos árabes sunitas que expulsem aqueles que ajudam os americanos. O objetivo Al-Zawahiri é minar os "conselhos de despertar", grupos sunitas apoiados pelas forças militares americanas que ajudam na luta contra a Al-Qaeda e seus aliados. Alguns grupos insurgentes sunitas vêm lutando com as forças americanas e o Exército dos EUA consideram esses conselhos como o principal fator de redução da violência em regiões como Anbar. No vídeo de 90 minutos, Al-Zawahiri falar sobre a "presença de hipócritas e traidores entre os mujahedin, que trabalham e lutam pelos americanos". Os mujahedin "devem se livrar dos que aceitam subornos, dos que vendem sua fé e lutam sob a bandeira da cruz. Eles devem ser expostos ao mundo muçulmano", diz ele. "As tribos ou clãs que não se limparem dos traidores e apóstatas serão lembradas por gerações como um dos colaboradores e traidores", afirmou. "Mas qualquer clã ou tribo que defender o Islã e esmagar os traidores...serão lembrados na história árabe com orgulho e glória". O vídeo foi feito a partir de uma entrevista do número 2 da Al-Qaeda à Al-Sahab, o braço de mídia da Al-Qaeda. No início desde mês, o Estado Islâmico do Iraque, uma coalizão insurgente ligada à Al-Qaeda, anunciou uma nova campanha contra membros dos grupos de despertar. O fundador do movimento, Abdul-Sattar Abu Risha, foi morto por uma bomba em setembro em Ramadi, dez dias depois de um encontro com o presidente Bush em uma base em Anbar.

Tudo o que sabemos sobre:
Al-QaedaIraque

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.