Trégua em Gaza está morta 'de fato', diz vice-premiê de Israel

Cessar-fogo, que devia durar seis meses, foi rompido após Exército israelense matar seis palestinos

Efe,

14 de novembro de 2008 | 17h19

O vice-primeiro-ministro israelense, Haim Ramon, deu nesta sexta-feira, 14, como morta "de fato" a trégua com o Hamas na Faixa de Gaza, após a escalada de violência dos últimos dias, informaram os meios de imprensa locais. "Os dois últimos dias marcaram o final de fato da trégua em Gaza com o Hamas, embora haja quem se negue a reconhecê-lo", disse Ramón. Veja também:Ataques com mísseis ameaçam cessar-fogo em GazaOlmert diz que tempo está acabando para solução de dois Estados Embora tecnicamente continue vigorando, a trégua entre Hamas e Israel, que devia durar seis meses, já existe somente no papel, após o Exército israelense matar seis integrantes do grupo xiita durante uma incursão há nove dias, para destruir um túnel. Após essa invasão, uma série de ataques e contra-ataques já matou mais 11 membros do Hamas; Israel ainda não registrou baixas. Ainda nesta sexta-feira, um ataque aéreo realizado pelo Exército de Israel feriu quatro milicianos palestinos no norte de Gaza, em um novo golpe à fraca trégua. Dos quatro feridos, dois deles são sem gravidade, informou o chefe dos serviços de emergência e ambulâncias do Ministério de Saúde de Gaza, Moawiya Hasanein. O Exército israelense confirmou o ataque contra uma célula que, anteriormente, teria lançado foguetes artesanais contra o sul de Israel. As Brigadas de Ezzedin al-Qassam, braço armado do Hamas, reivindicaram o lançamento de projéteis contra a localidade israelense de Sderot, que fica a poucos quilômetros da Faixa, e reconheceram que os feridos no ataque aéreo pertencem a seu grupo. Durante a noite passada e até o início da manhã, as milícias palestinas lançaram dez foguetes Qassam e bombas contra o sul de Israel, informa um porta-voz militar israelense. Os estilhaços de um deles feriu levemente uma idosa de 80 anos em Sderot, informou a Estrela de Davi Vermelha (equivalente à Cruz Vermelha).

Tudo o que sabemos sobre:
GazaIsrael

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.