Trégua garante saída de mulheres e crianças de Nahr al-Bared

Após onda de violência, familiares deixam campo de refugiados ocupado pelo Exército libanês no norte do país

Agências internacionais,

24 de agosto de 2007 | 12h11

A maioria das famílias dos milicianos do grupo extremista sunita Fatah al-Islam foi retirada nesta sexta-feira, 24,  do campo de refugiados palestinos de Nahr al-Bared, no norte do Líbano, disse o porta-voz dos ulemás palestinos, Mohammed al-Haj, à rede de televisão catariana Al Jazira. A retirada dos 63 civis, sendo 22 mulheres e 41 crianças, ocorreu em meio a um cessar-fogo e a expectativa é que, com a saída deles, o Exército volte a apertar o cerco ao campo de refugiados de Nahr el-Bared, iniciado há mais de três meses. "Esperamos que a retirada das famílias seja o último passo para a solução desta crise", disse o clérigo, em referência ao conflito que ocorre desde 20 de maio entre o Exército libanês e os combatentes do Fatah al-Islam no campo de Nahr al-Bared, próximo à cidade libanesa de Trípoli. Um integrante da Associação dos Clérigos Palestinos que estava no local no momento da retirada disse que os civis dirigiram-se até uma área do campo de refugiados controlada pelo Exército.   As mulheres e crianças receberam água e comida antes de embarcarem em ônibus e serem levadas para interrogatórios, revelou uma fonte militar.   O Exército libanês pediu a jornalistas, fotógrafos e cinegrafistas que se afastassem do local sob a alegação de que algum civil poderia tentar perpetrar algum atentado.   Uma fonte militar disse à Associated Press que um bebê de colo e uma criança ferida foram levadas a um hospital para que recebessem os cuidados médicos necessários. O oficial pediu aos militantes que se rendam, advertindo que a ofensiva militar continuará caso não haja rendição.   No começo desta semana, os militantes pediram aos mediadores palestinos que obtivessem uma trégua a fim de permitir a saída de seus familiares do campo.   A maior parte dos 40 mil moradores de Nahr el-Bared fugiu para um campo de refugiados vizinho nos primeiros dias de combate.   O Fatah al-Islam formou-se no ano passado a partir de uma facção dissidente de um grupo palestino ligado à Síria. A facção afirma compartilhar os ideais da Al -Qaeda, mas sem manter vínculos organizacionais com a rede de Osama bin Laden.   Matéria ampliada às 13h30.

Tudo o que sabemos sobre:
LíbanoretiradaNahr al-Bared

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.