Três pessoas morrem na Síria; centenas fogem para o Líbano

Três pessoas foram mortas por tropas sírias que entraram na cidade de Tel Kelakh neste sábado, disse um ativista de direitos humanos, e centenas fugiram para o Líbano.

REUTERS

14 de maio de 2011 | 17h32

As novas cenas de violência aconteceram um dia depois que ativistas disseram que ao menos seis pessoas foram mortas durante manifestações no país todo que começaram em desafio a uma tentativa do Exército de acabar com os protestos contra o governo do presidente Bashar al-Assad.

Um dos três mortos havia sido retirado da cidade fronteiriça de Tel Kelakh para o Líbano. Residentes em fuga para o país vizinho disseram ter visto soldados e pistoleiros vestidos de preto leais a Assad e terem ouvido o som de tiros de metralhadoras.

"Houve uma manifestação pacífica em Tel Kelakh ontem, mas hoje há confrontos", disse uma mulher que fugiu da pacata cidade para o Líbano e se negou a se identificar.

Os Estados Unidos e a União Europeia impuseram sanções a oficiais sírios e condenaram a repressão de Assad contra os protestos, que já duram oito semanas. Segundo grupos de defesa dos direitos humanos, mais de 700 pessoas já foram mortas por forças de segurança.

As autoridades culpam "grupos terroristas armados" pela maior parte da violência e dizem que 120 soldados e policiais já foram mortos.

(Por Khaled Yacoub Oweis)

Tudo o que sabemos sobre:
SIRIAMORTOSTRES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.