Tropas da Guarda Revolucionária do Irã estão na Síria--comandante

Membros da Corporação Militar Guarda Revolucionária Islâmica (IRGC) estão na Síria fornecendo ajuda não militar e o Irã pode se envolver militarmente se a Síria for atacada, disse seu comandante neste domingo.

MARCUS GEORGE, Reuters

16 de setembro de 2012 | 09h43

A declaração é a primeira admissão oficial de um comandante de alta patente de que o Irã tem uma presença militar em solo sírio, onde um levante deixou dezenas de milhares de mortos desde que começou há 18 meses.

Os países ocidentais e grupos de oposição sírios acusaram o Irã de fornecer armas e consultoria às forças armadas sírias e suspeitavam da presença militar iraniana dentro do país. O Irã negava isso.

A República Islâmica apoia o presidente Bashar al-Assad desde o início da crise e enxerga seu governo como uma parte importante de seu eixo de resistência contra Israel e os países árabes sunitas.

"Vários membros da Força Qods estão presentes na Síria, mas isto não constitui uma presença militar", disse o comandante-em-chefe do IRGC, Mohammad Ali Jafari, em uma coletiva de imprensa no domingo, segundo a agência de notícias iraniana ISNA.

O Qods é uma unidade do IRGC criada para exportar a ideologia iraniana. Ela vem sendo acusada de planejar ataques dentro do Iraque desde a derrubada de Saddam Hussein.

Tudo o que sabemos sobre:
IRAGUARDAREVOLUCIONARIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.