Tropas do Paquistão atiram, forçam recuo de helicópteros dos EUA

Disparos das tropas paquistanesasobrigaram helicópteros militares dos EUA a voltar para oAfeganistão na madrugada de segunda-feira (noite de domingo noBrasil), segundo autoridades paquistanesas. O incidente ocorreu perto de Angor Adda, aldeia da regiãotribal do Waziristão do Sul, onde neste mês os EUA realizaramincursões com helicópteros para tentar destruir supostosacampamentos da Al Qaeda e do Taliban. "Os helicópteros dos EUA entraram no Paquistão por apenas100 ou 150 metros em Angor Adda. Mesmo assim nossas tropas nãolhes pouparam, abriram fogo e os rechaçaram", disse umaautoridade. Moradores de Angor Adda também confirmaram o incidente, queno entanto foi negado por militares dos EUA e do Paquistão. O apoio de Islabamad é essencial para as operaçõesocidentais contra o Taliban e a Al Qaeda no Afeganistão. MasWashington vê pouco empenho paquistanês em combater amilitância islâmica nas suas próprias áreas tribais dafronteira. Pelo menos 20 pessoas (inclusive mulheres e crianças)morreram num bombardeio neste mês no Waziristão do Sul,provocando indignação no Paquistão e levando a um protestodiplomático formal. O general Ashfaq Kayani, comandante do Exércitopaquistanês, divulgou na semana passada uma nota em termosduros prometendo defender a todo custo a integridadeterritorial do país e expulsar tropas estrangeiras que oinvadam. Na segunda-feira, uma outra fonte oficial disse queblindados dos EUA foram vistos se deslocando no lado afegão dafronteira, sob a cobertura de aviões militares. Essa fonte disse que soldados paquistaneses fizeram umalerta com um clarim e dispararam para o alto, obrigando oshelicópteros a voltar para território afegão. O major Murad Khan, porta-voz militar paquistanês,confirmou que houve disparos, mas negou que tenha havidoincursão dos EUA no espaço aéreo paquistanês, e disse que ossoldados do país não foram os responsáveis pelos disparos. "Os helicópteros dos EUA estavam na fronteira, mas nãoviolaram nosso espaço aéreo", disse Khan. "Confirmamos que houve um incidente com disparos no momentoem que os helicópteros estavam ali, mas nossas forças não seenvolveram." Um porta-voz dos EUA na base militar de Bagram, ao norte deCabul, disse que suas forças não relataram nenhum incidente dotipo. (Reportagem adicional de Alamgir Bitani)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.