Tropas dos EUA podem sair de Bagdá até julho, diz Petraeus

As tropas de combate norte-americanaspodem ser retiradas de Bagdá em 10 meses devido à diminuição daviolência na capital iraquiana, disse o general David Petraeus,comandante dos Estados Unidos no Iraque, em uma entrevistapublicada na quinta-feira. Os comentários de Petraeus ao jornal Financial Times vêm nomomento em que os Estados Unidos e o Iraque tentam finalizar umpacto de segurança sobre a presença das forças norte-americanasno Iraque, depois do mandato da ONU expirar, no fim do ano. Há cerca de 145 mil militares norte-americanos no Iraque ePetraeus se referiu, na entrevista, apenas aos cerca de 16 milque estão em Bagdá segundo o jornal. Questionado sobre se era possível que as forças de combatedos EUA deixassem Bagdá em julho, Petraeus disse: "se ascondições permitirem, sim". "O número de ataques em Bagdá, ultimamente, tem sido...acho que, provavelmente, a média é de menos que cinco (por dia)e é uma cidade de sete milhões de pessoas", acrescentou. O Exército dos EUA entregou a província de Anbar às forçasiraquianas na segunda-feira, menos de dois anos depois daregião quase ser perdida para uma insurgência sunita. Anbar foi a 11a de 18 províncias iraquianas devolvidas aocontrole iraquiano desde 2003, quando ocorreu a invasãoliderada pelos Estados Unidos, para derrubar Saddam Hussein. Líderes iraquianos disseram que os Estados Unidos e oIraque acertaram uma data em 2011 para a retirada das tropasnorte-americanas do país, mas autoridades norte-americanasdisseram que as negociações continuam. Washignton tem relutadoem adotar datas fixas para a retirada. Os termos da presença futura das tropas dos Estados Unidosno Iraque são alvo de um exame minucioso, num momento em que osEstados Unidos se preparam para as eleições presidenciais, emnovembro. Um dos candidatos, o democrata Barack Obama, quer um prazode 16 meses para a retirada, enquanto o republicano John McCainé contra a o estabelecimento de um prazo para remover astropas. (Por Charles Dick)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.