Tropas paquistanesas matam 37 em retaliação a atentados

Pelo menos dois soldados também teriam morrido, de acordo com as Forças Armadas do país

AE / AP,

23 de agosto de 2008 | 15h00

Tropas paquistanesas encurralaram militantes islâmicos em Swat Valley, no noroeste do país, neste sábado, 23, matando 37 pessoas em retaliação por dois atentados, um com carro-bomba e outro suicida, que colocaram pressão para que o novo governo contenha a crescente ameaça extremista. Pelo menos dois soldados também teriam morrido, de acordo com as Forças Armadas do país.  Os dois principais partidos da coalizão - que têm mostrado preocupação com os conflitos internos que forçaram Pervez Musharraf a renunciar à presidência - tentaram conversas de paz com militantes logo após tomarem o poder há cinco meses.  Mas ao se depararem com sucesso limitado em suas tentativas de paz, os partidos aumentaram a confiança na atuação das forças militares para tentar combater a Al-Qaeda e os insurgentes ligados ao Taleban em aéreas remotas na fronteira com o Afeganistão.  Os militantes responderam com força nos últimos dias. O Taleban imediatamente reivindicou responsabilidade por um dos mais violentos ataques terroristas no país, dois ataques suicidas a bomba numa fábrica de armas que matou 67 pessoas e feriu mais de 100 há apenas dois dias.

Tudo o que sabemos sobre:
Paquistão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.