Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Tropas sairão de Gaza antes de posse de Obama, afirma Israel

Hamas anunciou cessar-fogo de uma semana para que soldados de Israel deixem o território palestino

Agências internacionais,

19 de janeiro de 2009 | 06h42

Oficiais israelenses afirmaram que as tropas vão deixar a Faixa Gaza antes da posse de Barack Obama como novo presidente dos Estados Unidos, que ocorre nesta terça-feira, 20. Esta é a primeira indicação oficial de que Israel planeja uma rápida retirada das suas forças após anunciar um cessar-fogo unilateral na tarde de sábado, 17.   Veja também: Hamas anuncia trégua para Israel sair da Faixa de Gaza No Egito, França diz que Israel deve deixar Faixa de Gaza Especial traz mapa com principais alvos em Gaza  Linha do tempo multimídia dos ataques em Gaza  Bastidores da cobertura do 'Estado' em Israel  Conheça a história do conflito entre Israel e palestinos  Veja imagens de Gaza após os ataques       Segundo o jornal Yedioth Ahronoth, se não for registrado nenhum novo incidente, as forças israelenses teriam completado sua retirada da faixa palestina antes das 17h (horário de Brasília) de terça-feira, assegura a versão digital do periódico, que cita fontes governamentais. A rápida saída de tropas seria um sinal para a nova Administração americana, com a qual Israel espera continuar cooperando em matéria de antiterrorismo e para evitar o tráfico de armas para Gaza. "Se o cessar-fogo for respeitado, então queremos ir o mais rápido possível", declarou Mark Regev, porta-voz do primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, que declinou, no entanto, confirmar se a retirada se completará nos dois próximos dias. "Israel deixará completamente a faixa. Não queremos ocupar lugar algum de Gaza", acrescentou.   O Exército israelense afirmou no domingo, 18, que iniciou a retirada das tropas da Faixa de Gaza depois das três semanas da ofensiva no território. O movimento foi anunciado horas depois do grupo islâmico Hamas anunciar um cessar-fogo de todas as facções palestinas por uma semana para que os soldados israelenses deixassem o território. Os militares não informaram o número de soldados que estão deixando a região, mas um canal de TV israelense mostrou tanques e infantaria seguindo em direção à fronteira.   Israel anunciou um cessar-fogo unilateral no fim da noite de sábado, mas afirmou que manterá militares no território enquanto se discute meios para prevenir que o Hamas não se rearme. O grupo palestino anunciou neste domingo que suspenderá o lançamento de foguetes e deu a Israel sete dias para retirar suas tropas do território palestino. Porém, militantes chegaram a disparar dois foguetes contra Israel após o anúncio da trégua imediata, segundo afirmou a polícia israelense. "Um foguete atingiu a área de Netivot e o outro uma vila no sul de Israel", disse o porta-voz da polícia, Micky Rosenfeld. Não houve mortes decorrentes dos ataques.   O grupo militante enfatizou que a trégua será temporária a menos que Israel atenda essas exigências. O vice-líder do Hamas, Moussa Abu Marzouk, em um pronunciamento na televisão síria, declarou cessar-fogo com Israel em Gaza em nome de todos grupos armados de militantes palestinos. Ele acrescentou que a trégua durará uma semana, de forma a permitir que Israel retire todas as tropas da Faixa de Gaza e remova os bloqueios da região, facilitando a passagem de ajuda humanitária.   A trégua unilateral declarada por Israel teve início às 2h (horário local, 22h em Brasília). Horas depois, a cidade israelense de Sderot foi atingida por cinco foguetes que não deixaram vítimas, segundo um porta-voz militar israelense. Os ataques não são surpresa. O Hamas disse que não aceitaria a presença de forças israelenses na Faixa de Gaza e que "continuaria a resistir". Israel disse que a retirada total da região depende de um cessar-fogo do Hamas.

Tudo o que sabemos sobre:
IsraelHamasFaixa de Gaza

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.