Túmulos de guerra britânicos e italianos são violados na Líbia

Líderes da Líbia desculparam-se após homens armados destruírem túmulos de soldados britânicos e italianos, mortos durante a Segunda Guerra Mundial.

CHRISTIAN LOWE E ALI SHUAIB, REUTERS

04 de março de 2012 | 15h07

Imagens de um vídeo amador do ataque, divulgado na rede social Facebook, mostraram homens chutando casualmente as lápides em um cemitério de guerra e golpeando com marretas para destruir uma cruz de metal e pedra.

Um homem pôde ser ouvido dizendo: "Este túmulo é de um cristão", enquanto ele arrancava uma lápide do chão. Outra voz diz que aqueles enterrados no cemitério "são cachorros".

O ataque aconteceu na parte leste da cidade de Benghazi, onde tropas britânicas e da Commonwealth lutaram em duras batalhas contra forças alemãs e italianas durante a Guerra.

O Conselho Nacional de Transição (CNT), liderança provisória da Líbia desde os levantes populares do ano passado que derrubaram Muammar Gaddafi, disse que iria procurar os responsáveis.

"O CNT pede desculpas pelo incidente com os túmulos estrangeiros, especialmente os britânicos e italianos", afirmou o conselho em comunicado. "Esta ação não está de acordo com o Islã".

"O Conselho irá confrontar o assunto e, de acordo com a legislação líbia, irá procurar as pessoas responsáveis pelo ato."

O CNT tem vínculos próximos com países ocidentais após a Otan realizar uma campanha de bombardeios que ajudou a derrubar Gaddafi. A maioria dos líbios não sentem animosidade em relação ao Ocidente.

(Reportagem adicional de Avril Ormsby, em Londres e Ahmad Noman, em Benghazi)

Tudo o que sabemos sobre:
LIBIATUMULOSBRITANICO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.