Turquia pode pedir autorização para lançar ação no Iraque

Ancara quer combater terroristas curdos e membros do PKK instalados nas montanhas do norte iraquiano

Associated Press e Agência Estado,

09 de outubro de 2007 | 14h40

O governo turco decidiu pedir autorização ao Congresso para lançar uma operação militar contra guerrilheiros curdos no norte do Iraque, informaram as emissoras de televisão NTV e CNN Turca nesta terça-feira, 9. Veja TambémAgentes de segurança privada matam duas mulheresExplosões matam mais de 30 pessoas no país  A decisão foi tomada durante uma reunião de três horas de duração entre o primeiro-ministro da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, e integrantes do alto escalão de seu partido, prosseguiram as emissoras. Não estava claro quando o governo buscaria a autorização do Parlamento, mas a administração turca quer que a matéria seja apreciada o mais rápido possível, revelou uma fonte. O desdobramento pode levar, eventualmente, a uma incursão militar turca em solo iraquiano. Horas antes, o governo turco anunciou o início dos preparativos para uma operação militar contra o norte do Iraque para reprimir rebeldes curdos acusados de promover uma série de ataques contra soldados turcos nos últimos dias. "As instituições competentes receberam as ordens e as instruções necessárias para promover todo o tipo de preparativo jurídico, econômico e político para pôr fim à presença da organização terrorista no país vizinho, inclusive para uma possível operação além da fronteira", dizia um comunicado divulgado ao término de uma primeira reunião com comandantes dos serviços de segurança também presidida pelo primeiro-ministro da Turquia, Recep Tayyip Erdogan. A "organização terrorista" mencionada no documento é o Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK, por suas iniciais em curdo), que levantou-se em armas em 1984. Há temores entre iraquianos e americanos de que uma eventual invasão turca desestabilize uma região do Iraque que não vem sendo tão afetada pela violência quanto o centro e o sul do país árabe, apesar de uma recente escalada. A Turquia pressionada para que os Estados Unidos e o Iraque atuem contra os rebeldes curdos, mas tem demonstrado uma insatisfação cada vez maior com a passividade de Washington e de Bagdá. Nos últimos dez dias, mais de 20 pessoas morreram em ataques atribuídos ao PKK na Turquia.

Tudo o que sabemos sobre:
curdosPKKIraqueTurquia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.