TV líbia se mantém no ar mesmo após bombardeio da Otan

A Otan disse no sábado que bombardeou três antenas parabólicas em Trípoli para parar as "transmissões terroristas" de Muammar Gaddafi, mas a televisão estatal líbia permaneceu no ar e condenou o que disse ser um atentado a jornalistas.

MISSY RYAN E DAVID BRUNNSTROM, REUTERS

30 de julho de 2011 | 12h41

A Otan está bombardeando alvos líbios desde março, quando interveio no conflito sob um mandado das Nações Unidas para proteger civis das forças de Gaddafi, que lutam em uma revolta contra os 41 anos de governo do coronel líbio.

Em um comunicado em vídeo intitulado "Otan silencia as transmissões terroristas de Gaddafi," o porta-voz da Otan, coronel Roland Lavoie, disse que a aliança militar havia desabilitado as antenas parabólicas em um bombardeio preciso.

A televisão estatal líbia continuou as transmissões, no entanto, e na manhã de sábado mostrava uma repetição de um talk show político da noite anterior.

A Libyan Broadcasting Corporation divulgou um comunicado dizendo que três funcionários foram mortos e 15 ficaram feridos no ataque.

Lavoie mostrou ceticismo com o número de vítimas. "A essa altura não temos indícios que mostrem que há qualquer fundamento nessas alegações," disse, acrescentando que os ataques aéreos foram feitos durante a noite para evitar mortes.

Tudo o que sabemos sobre:
LIBIABOMBARDEIO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.