Tzipi Livni é encarregada de formar novo governo de Israel

O presidente de Israel, Shimon Peres,pediu nesta segunda-feira à chanceler Tzipi Livni que tenteformar um novo governo de coalizão, abrindo caminho para que anova líder do partido Kadima se torne a segunda mulher a ocuparo posto de primeira-ministra na história de Israel. Livni terá até 42 dias para formar uma coalizão. Oex-premiê Ehud Olmert, cercado por escândalos de corrupção,renunciou ao cargo no domingo, mas vai continuar no gabineteaté que o novo governo seja formado -- por meio de uma coalizãoou eleições. "Eu entrego a você a tarefa de formar um novo governo",disse Peres a Livni, diante das câmeras de TV, na residênciaoficial do presidente. Após a indicação do presidente, Livni pediu a BenjaminNetanyahu, líder do partido de direita Likud, que ele participeda coalizão. A nova premiê indicada disse ainda que vaiconvocar eleições parlamentares se não conseguir apoio paraformar o novo governo. Mais cedo, Peres se encontrou com líderes partidários parasondá-los sobre a formação de um novo governo ou a antecipaçãodas eleições gerais previstas para 2010. A incerteza política prejudica ainda mais as perspectivasde acordo neste ano entre israelenses e palestinos, numprocesso de paz retomado em novembro sob os auspícios dos EUA.Livni é a representante israelense nessas negociações. Olmert, acusado de usar caixa-dois eleitoral, foisubstituído por Livni na liderança do partido Kadima, o que atorna sucessora natural do primeiro-ministro. Na votação, feitana quarta-feira, Livni teve uma vitória apertada contra oministro dos Transportes, Shaul Mofaz. Se Livni formar uma coalizão, ela será a primeira mulher agovernar Israel desde Golda Meir, na década de 1970. Se nãoconseguir formar o gabinete, provavelmente haverá uma eleiçãoparlamentar no começo do ano que vem. Oficialmente, as próximas eleições israelenses acontecem em2010. Pesquisas de opinião apontam que o partido Likud, deNetanyahu, pode ganhar as eleições caso estas sejamadiantadas. (Reportagem adicional de Joseph Nasr e Alastair Macdonald)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.