AP
AP

UE e EUA anunciam retirada de sanções contra o Irã

Medida faz parte de acordo e foi tomada após Teerã interromper parte de programa nuclear

O Estado de S. Paulo,

20 de janeiro de 2014 | 13h30

BRUXELAS - A União Europeia anunciou nesta segunda-feira, 20, a retirada de uma série de sanções econômicas ao Irã depois de o país persa ter interrompido parte de seu programa de enriquecimento de urânio, como prevê o acordo assinado em novembro entre o país e o grupo 5+1 (EUA, China, Rússia, Alemanha, Grã-Bretanha e França).

Entre as sanções retiradas pelos europeus estão a proibição à compra de produtos petroquímicos e derivados do Irã, bem como ao transporte e a contratação de seguros de embarcações de petróleo. O veto a negociações com pedras preciosas também foi retirado. A medida tem duração de seis meses.

"Ao remover as sanções, a União Europeia contribuiu com a parte que lhe cabe no primeiro passo rumo a uma solução para o impasse que envolve o programa nuclear iraniano", informou, em nota, o Conselho Europeu. "Esse passo inicial pode ser prolongado por consenso mútuo entre o Irã e o 5+1).

Mais cedo, o governo do Irã suspendeu o enriquecimento de urânio a 20% de pureza. O regime persa informou ainda que o processo de dissolução de 196 quilos desse material armazenados nos últimos meses, outro ponto do acordo, também já começou.

O mineral radioativo enriquecido a 20% é usado em pesquisas médicas e tratamento para câncer, mas especialistas dizem que a distância entre esse processo e o enriquecimento a 90%, usado na produção de armas nucleares, é tecnologicamente muito próximo e era motivo de preocupação entre as potências ocidentais.

Os EUA consideraram as ações de Teerão "um importante passo" e disseram que também vão começar a aliviar algumas sanções econômicas. "Essas ações (do Irã) representam a primeira vez em quase uma década que o Irã toma medidas confiáveis para parar o progresso de seu programa nuclear", afirmou o assessor de imprensa da Casa Branca Jay Carney./ AP E REUTERS


Tudo o que sabemos sobre:
IrãUEprograma nuclear

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.