UE pede que Irã aproveite mão estendida de Obama

Ministros de Relações Exteriores da UE apoiaram "a nova direção" da política dos Estados Unidos rumo ao Irã

Efe,

27 de abril de 2009 | 09h54

A União Europeia (UE) pediu nesta segunda-feira, 27, que o Irã aproveite a oportunidade aberta pela nova política dos Estados Unidos e aceite um processo negociador sobre seu programa nuclear.  

lista Altos e baixos da relação entre Irã e EUA

especial Especial: O programa nuclear do Irã

Os ministros de Exteriores da UE apoiaram "a nova direção" da política dos Estados Unidos rumo ao Irã, que abre uma porta à oportunidade de lançar negociações sobre todos os aspectos do programa nuclear iraniano e, de forma mais ampla, a uma maior relação com esse país.

O Conselho de Ministros comunitário aprovou um texto de conclusões no qual também comentou a decisão americana de participar das negociações que Alemanha, Reino Unido, França, Rússia e China mantêm com o Irã (o processo conhecido como P5+1), e de assistir a reuniões com representantes do regime de Teerã.

Por isso, a UE pede ao Irã que "aproveite esta oportunidade" para lançar "seriamente" um processo de diálogo com a comunidade internacional para encontrar uma solução negociada à questão nuclear iraniana de forma a atender os interesses desse país.

Essa solução incluiria o desenvolvimento de um sistema civil de geração de energia de origem nuclear, assim como "as preocupações da comunidade internacional" sobre o atual programa atômico de Teerã.

O texto ressalta que o Irã "deve restaurar a confiança" internacional da natureza "exclusivamente pacífica" de suas atividades atômicas.

No final de março, o presidente americano, Barack Obama, propôs ao Irã lançar um novo princípio nas relações entre os dois países, suspensas há anos.

No entanto, o presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, anunciou no início deste mês a montagem de novas centrífugas de gás e inaugurou uma usina que culmina a cadeia de produção própria iraniana de energia nuclear.

Tudo o que sabemos sobre:
IrãUE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.