União Africana reconhece rebeldes como legítimos governantes da Líbia

Decisão faz com que bloco regional deixe de ser apoio diplomático de Muamar Kadafi

Reuters

20 Setembro 2011 | 12h45

JOHANNESBURGO - A União Africana reconheceu nesta terça-feira, 20, o Conselho Nacional de Transição (CNT), como o governo interino da Líbia, deixando de ser, portanto, um dos apoios diplomáticos do ditador líbio Muamar Kadafi.

 

Veja também:
forum OPINE: 
Onde se esconde Kadafi?
especialESPECIAL: Quatro décadas de ditadura na Líbia
lista ARQUIVO: ‘Os líbios deveriam chorar’, dizia Kadafi

 

A entidade, que congrega os países da África, vinha sendo constantemente criticada por sua reação ponderada aos eventos no continente. Num comunicado, a União Africana disse estar pronta para apoiar o CNT em seu esforço para construir um governo inclusivo.

Além disso, fez um chamado ao CNT para que proteja os trabalhadores migrantes de outras regiões da África, pois há relatos de que estejam sendo alvo de milícias que perseguem mercenários contratados pelo regime de Kadafi.

 

Desde 22 de agosto a maioria das nações europeias, os Estados Unidos e vários países africanos, entre outros, reconheceram o CNT. A China reconheceu em 12 de setembro o CNT como "autoridade governante". O Brasil ainda não reconheceu o Conselho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.