Usina de energia interrompe abastecimento em Gaza

Palestinos temem o caos, uma vez que a falta de energia atingirá serviços essenciais, como hospitais

EFE

20 de janeiro de 2008 | 12h04

A principal usina geradora de energia de Gaza suspendeu neste domingo, 20, suas operações devido à falta de combustível provocada pelo fechamento das passagens fronteiriças na quinta-feira. Palestinos, incluindo, crianças, saíram em protesto contra as sanções de Israel.  Funcionários da central, que abastece dois terços da população da Faixa de Gaza, onde vivem 1,5 milhão de palestinos, anunciaram que as turbinas pararam de funcionar porque falta combustível.  Desde quinta-feira, quando Israel fechou a fronteira, a usina vinha funcionando com as reservas de combustível que tinha, as quais terminaram esta manhã.  Os funcionários da central da Cidade de Gaza disseram que nas próximas horas o território vai virar um caos, devido à falta de combustível tanto para veículos como para geradores de energia. Jamal al-Khudary, deputado palestino ligado ao Hamas e representante do Comitê de Resistência contra o Fechamento de Gaza, afirmou que, no prazo de horas, o território será palco de uma crise humanitária. O corte no fornecimento de energia também afetará os hospitais locais.

Tudo o que sabemos sobre:
GAZAENERGIAISRAEL

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.