Usina nuclear iraniana deve funcionar no fim de 2008

Empresa russa responsável pela instalação diz que enriquecimento de urânio é inferior ao alcançado pelo Irã

Efe,

20 de dezembro de 2007 | 07h48

A usina nuclear iraniana de Bushehr, que especialistas russos estão construindo nas margens do Golfo Pérsico, entrará em funcionamento até o fim de 2008, segundo anunciou nesta quinta-feira, 20, a companhia russa que desenvolve o projeto, AtomStroyExport. "Com toda a certeza, a estação só entrará em funcionamento no fim de 2008", disse à imprensa o presidente da companhia, Serguei Shmatko, citado pela agência russa Interfax. Ele confirmou que Rússia e Irã concordaram com os prazos para terminar a construção da usina nuclear. Mas não quis citar datas e disse que o calendário será anunciado mais tarde. A AtomStroyExport anunciou na segunda-feira que já tinha começado a fornecer combustível nuclear para Bushehr. Segundo a companhia russa, a primeira remessa, em contêineres selados por inspetores da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), já se encontra na usina, guardada num depósito especial sob um sistema de controle e vigilância internacional. As cargas de urânio-235 enriquecido até 3,62% para a primeira carga do reator da planta chegarão em vários períodos e todo o processo levará dois meses. Especialistas russos sustentam que o grau de enriquecimento é inferior ao alcançado pelos especialistas iranianos. Por isso, o urânio russo não contribui para o enriquecimento de urânio pelo Irã com possíveis fins militares."Todo o combustível fornecido ficará sob as garantias e o controle da AIEA", afirmou a Chancelaria russa em seu comunicado. A construção da usina de Bushehr, de mil megawatts de potência, foi adiada em várias ocasiões por problemas no financiamento do projeto, avaliado em US$ 800 milhões a US$ 1,2 bilhão.

Tudo o que sabemos sobre:
programa nuclearRússiaIrã

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.