Usina nuclear não foi atingida por vírus de computador, diz Irã

Um vírus de computador que segundo especialistas pode ter sido criado por um governo não afetou a usina nuclear iraniana e nem instalações governamentais, mas atingiu computadores de funcionários da usina e provedores de internet. A informação foi dada por autoridades do governo no domingo.

REUTERS

26 de setembro de 2010 | 14h12

Um alto oficial da empresa americana Symantec disse à agência de notícias Reuters na sexta-feira que 60 por cento dos computadores que foram afetados pelo chamado vírus Stuxnet em todo o mundo estão no Irã, gerando especulações de que a usina nuclear possa ter sido vítima de um ato de sabotagem ou de espionagem.

De acordo com algumas agências ocidentais de cybersegurança, o ataque pode ter sido realizado com "apoio de um Estado-nação", indicando que plantas industriais do Estado islâmico podem ter sido os alvos.

O presidente da usina nuclear Bushehr disse que o vírus só afetou os computadores pessoais de funcionários.

"Uma equipe está inspecionando diversos computadores para remover os problemas. Os sistemas principais da usina não foram prejudicados", disse Mahmoud Jafari, à agência de notícias oficial iraniana IRNA.

Tudo o que sabemos sobre:
IRANUCLEAR*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.