Vice-ministro japonês viaja ao Irã para tentar libertar seqüestrado

Universitário de 23 anos foi seqüestrado no sudeste do país no começo do mês

Efe,

16 de outubro de 2007 | 05h57

O vice-ministro de Relações Exteriores japonês, Itsunori Onodera, partiu nesta terça-feira, 16, para Teerã para buscar uma maior colaboração do governo iraniano na libertação do estudante japonês seqüestrado no país islâmico. Onodera pretende conseguir a cooperação iraniana para obter mais informações sobre a situação do jovem Satoshi Nakamura, de 23 anos, assim como as perspectivas de negociação com os seqüestradores. Ele foi raptado no sudeste do Irã no começo deste mês. "Quero pedir ao governo iraniano que faça o possível para conseguir a libertação o mais rápido possível. Solicitarei que transformem sua segurança em prioridade máxima", assegurou Onodera no aeroporto de Narita, na área de Tóquio, antes de iniciar a viagem, informou a agência japonesa Kyodo. O político encabeça o grupo de trabalho do governo japonês para a libertação de Nakamura e deve permanecer no Irã até a próxima sexta-feira. O embaixador japonês em Teerã, Hideaki Domichi, tentou até agora aumentar a colaboração das autoridades iranianas no caso Nakamura, mas o governo japonês decidiu enviar um político de alto nível para acelerar a libertação do estudante. Está previsto que Onodera se reúna com o ministro de Relações Exteriores iraniano, Manouchehr Mottaki, e com membros das forças de segurança do país islâmico. Segundo informou nesta terça-feira o ministro japonês de Relações Exteriores, Masahiko Komura, as autoridades iranianas confirmaram no domingo que Nakamura está vivo. O Governo iraniano assinalou que acredita que o estudante foi seqüestrado por uma organização de traficantes de drogas que raptou um casal de belgas em agosto. Nessa ocasião, a mulher foi libertada pouco após ser seqüestrada, enquanto a libertação do homem ocorreu cinco semanas depois. Nakamura, estudante do quarto ano da Universidade de Yokohama e natural da província de Osaka, estava viajando pelo exterior desde maio.

Tudo o que sabemos sobre:
Irãjaponês seqüestradoJapão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.