Vice-presidente iraquiano é condenado à morte

BADGÁ, O vice-presidente do Iraque, Tareq al-Hashemi, foi condenado neste domingo à morte por um tribunal do país, depois de ser acusado de assassinato, uma decisão que pode piorar ainda mais a tensão sectária na nação.

Reuters

09 de setembro de 2012 | 13h51

Hashemi, um sunita, fugiu do país neste ano depois de autoridades terem acusado o político de comandar um esquadrão da morte. O caso provocou uma crise no governo, dividido entre blocos políticos de sunitas, xiitas e curdos. "A alta corte criminal emitiu uma sentença de morte por enforcamento contra Tareq al-Hashemi depois de ele ser condenado", disse Abdul-Sattar al-Birqdar, um porta-voz do conselho judiciário.

Hashemi e seu genro foram considerados culpados por dois assassinatos. Sob a lei iraquiana, a condenação é seguida imediatamente pela sentença, mas há a possibilidade de apelação. Hashemi, que está na Turquia, acusou o primeiro-ministro Nuri al-Maliki de conduzir uma "caça às bruxas" contra oponentes sunitas, mas o governo disse que esse era um caso do Judiciário.

Tudo o que sabemos sobre:
IRAQUEVICEPRESIDENTECONDENADO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.