Violência deixa seis mortos em Trípoli

Presidente do Líbano pede para ministérios da Defesa e Exército adotarem medidas para um cessar-fogo

Efe,

26 de julho de 2008 | 06h20

A situação em Trípoli continua tensa após dois dias de enfrentamentos intermitentes entre a comunidade sunita, partidária da maioria parlamentaria, e a alawi, simpatizante da oposição. Seis pessoas morreram e 44 ficaram feridas, segundo uma fonte da Polícia. A fonte policial disse que, apesar de a situação continuar tensa, há menos disparos nos bairros de Bab Tebane, de maioria sunita, e de Jebel Mohsen, de maioria alawi, onde nesta quinta-feira começaram os distúrbios. Diante da persistência da situação, o presidente do Líbano, Michel Suleiman, pediu que os ministérios do Interior e da Defesa, assim como o Exército, "adotem as medidas necessárias para pôr fim à degradação da situação e para estabelecer um cessar-fogo", segundo um comunicado da Presidência. A emissora de TV Al Jazera exibiu imagens da região dos tiroteios, onde começam a se posicionar unidades do Exército que por enquanto não se envolveram nos enfrentamentos.

Tudo o que sabemos sobre:
LíbanoTrípoli

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.