Violência no Iraque mata 54 antes de feriado religioso xiita

Homens-bomba e atiradores mataram pelo menos 54 pessoas no Iraque nesta segunda-feira, disseram fontes médicas e policiais, em ataques direcionados sobretudo contra muçulmanos xiitas, que realizam um grande festival religioso na próxima semana.

GHAZWAN HASSAN, Reuters

16 de dezembro de 2013 | 11h53

Em Baiji, 180 quilômetros ao norte de Bagdá, quatro homens vestidos com cintos de explosivos tomaram uma delegacia após detonarem um carro-bomba estacionado em frente, disseram fontes policiais.

Dois se explodiram dentro da delegacia, matando cinco policiais. Outros dois fizeram o mesmo cerca de uma hora depois, quando forças policiais contra-atacavam, disseram as fontes.

"Acreditamos que o ataque tinha como objetivo libertar detentos mantidos no prédio vizinho", disse o major Salih al-Qaisi, oficial da polícia, na cena do atentado.

"Todos os militantes foram mortos antes de alcançarem o prédio do departamento policial onde os presos são mantidos."

Nenhum grupo assumiu de imediato a responsabilidade pelo ataque, mas atentados suicidas são característicos da facção iraquiana da Al Qaeda, que este ano se uniu a sua correlata síria para formar o Estado Islâmico do Iraque e do Levante.

(Reportagem de Kareem Raheem, em Bagdá)

Tudo o que sabemos sobre:
IRAQUEVIOLENCIA54MORTOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.