Violência no Iraque matou 9.673 pessoas em 2007, diz pesquisa

ONU calcula que em média cem pessoas morrem diariamente no país; em quatro anos, mortos somam 150 mil

Efe,

16 Julho 2007 | 10h45

Pelo menos 88 pessoas morreram nesta segunda-feira, 16, em diferentes ataques no Iraque, o que eleva a 9.673 o número de vítimas iraquianas, entre civis e militares, em função da violência no país este ano, segundo uma apuração com base em informações divulgadas pela agência Efe.  Das vítimas registradas nesta segunda, 71 morreram em dois atentados cometidos em Kirkuk, no norte do Iraque, com um caminhão carregado de explosivos em um mercado e outro contra a sede da União Patriótica do Curdistão (UPK). Em janeiro, ao menos 1.596 pessoas perderam a vida em função da violência no Iraque; em fevereiro, 1.308; em março, 1.546; em abril, 1.435; em maio, 1.564; em junho, 1.240, e em julho, 1.018, segundo as informações da Efe. Com a ausência de números oficiais, os cálculos sobre o número de vítimas mantêm grandes diferenças qualquer que seja a fonte encarregada da contabilidade. A organização humanitária Iraque sem Violência indica que 9.352 iraquianos morreram no Iraque nos cinco primeiros meses deste ano.  Já o grupo independente Body Count, dirigido por pesquisadores e pacifistas, calculava em pelo menos 6.765 o número de civis iraquianos mortos até maio. Sem concretizar os números, o Alto Comissariado da ONU para os Refugiados (Acnur) calcula que em média cem pessoas morrem diariamente no país por causa da violência. Além disso, segundo a Organização Mundial da Saúde, sete em cada dez feridos em atos violentos morrem nos hospitais.  Desde o início do conflito, em março de 2003, mais de 150 mil pessoas morreram no Iraque, afirmou o ministro da Saúde iraquiano em novembro de 2006. A Body Count situa o número de vítimas em mais de 67.265, embora um estudo da revista científica britânica "The Lancet", publicado em outubro de 2006, elevasse o número para 600 mil. O dia com mais baixas de 2007 foi 7 de julho, quando cerca de 190 pessoas morreram em diferentes ações violentas registradas no país.  O ataque com mais vítimas, que deixou 156 mortos, foi realizado com um caminhão carregado de explosivos em um mercado da região de Amarli, norte de Bagdá. Embora não tenha oferecido um balanço completo das vítimas do conflito, a Missão de Assistência da ONU para o Iraque (Unami) informou que 34.452 civis morreram no Iraque em 2006. O governo irquiano calculou que houve 12.371 mortos este ano.  Entre os militares, 3.902 soldados da coalizão morreram desde o começo do conflito, 3.615 deles americanos. » Bombas matam pelo menos 85 em cidade iraquiana de Kirkuk

Mais conteúdo sobre:
Iraquemortosviolência

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.