WikiLeaks: Pyongyang ajudaria Mianmar a construir instalação nuclear

Relatórios citam testemunhas que notaram atividade suspeita perto de colinas birmanesas

Efe

10 de dezembro de 2010 | 09h08

LONDRES - Mianmar poderia estar construindo instalações nucleares para mísseis em lugares afastados do país com apoio da Coreia do Norte, revelam mensagens diplomáticas americanas publicadas na quinta-feira, 9, pelo WikiLeaks.

 

Veja também:

especialEspecial: Por dentro do WikiLeaks

blog Radar Global: principais vazamentos do 'cablegate'

lista Veja tudo o que foi publicado sobre o assunto

 

Os documentos citam testemunhas locais, entre eles um funcionário birmanês que diz ter visto técnicos norte-coreanos ajudando na construção de uma instalação subterrânea perto de colinas localizadas a mais de 480 quilômetros de Yangun.

 

"Os norte-coreanos, ajudados por trabalhadores birmaneses, estão construindo uma instalação subterrânea reforçada com concreto e com uma altura de 500 pés (152 metros)", assinala a mensagem.

 

Um estrangeiro que trabalha em Mianmar disse à embaixada americana em Yangun ter visto uma grande embarcação que levava uma barra de aço reforçado cujo diâmetro o fazia crer que estava destinada a um projeto mais ambicioso do que uma fábrica.

 

Esses relatórios acrescentam detalhes aos rumores que vêm circulando desde 2002 e que foram reforçados pelas declarações de um desertor do Exército que disse neste ano que Mianmar está construindo uma bomba nuclear com ajuda do regime de Pyongyang.

 

Tanto a Coreia do Norte como Mianmar vêm negando as denúncias e as autoridades birmanesas insistem que não há norte-coreanos em seu país.

 

Uma mensagem de agosto de 2004 cita um oficial birmanês que fazia parte de uma equipe de engenheiros que trabalhava na instalação suspeita, na qual, segundo suas declarações, aparentemente estavam sendo montados mísseis. Segundo o oficial, 300 norte-coreanos trabalhavam no local, embora a própria embaixada qualificou as afirmações de "muito inverossímeis".

 

Mianmar declarou abertamente que quer construir um reator nuclear do tipo civil para remediar os graves problemas de provisão elétrica e assinou um acordo com a Rússia para sua construção, embora o projeto ainda não tenha sido iniciado por falta de financiamento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.