Zimbábue expulsa embaixador da Líbia por se aliar aos rebeldes

O Zimbábue expulsou o embaixador da Líbia e sua equipe nesta terça-feira por terem se aliado ao conselho rebelde interino líbio, informou o ministro de Relações Exteriores, Simbarashe Mumbengegwi.

REUTERS

30 de agosto de 2011 | 11h36

O presidente Robert Mugabe é um forte aliado do líder deposto Muammar Gaddafi, que já assinou diversos acordos econômicos com Harare, incluindo um de abastecimento de combustível.

Mumbengegwi, ministro do partido ZANU-PF, de Mugabe, em uma frágil coalizão com o primeiro-ministro Morgan Tsvangirai, disse que o embaixador Taher Elmagrahi e sua equipe haviam perdido o status diplomático depois de terem queimado a bandeira usada pelo governo Gaddafi.

"O governo do Zimbábue não reconhece o CNT (Conselho Nacional de Transição) como governo e representante do povo da Líbia", disse Mumbengegwi a jornalistas.

"Quando você renuncia a autoridade que lhe deu a carta de crédito e então vai se aliar a outra autoridade... significa que esse ato o priva de sua postura diplomática."

Mumbengegwi deu ao embaixador e a sua equipe 72 horas para deixar o país. Ele acrescentou que o Zimbábue se reserva ao direito de rejeitar diplomatas de Trípoli no futuro e se recusou a comentar se Harare estava preparado para dar asilo a Gaddafi ou algum membro da família dele.

(Reportagem de MacDonald Dzirutwe)

Tudo o que sabemos sobre:
LIBIAZIMBABUEEMBAIXADOR*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.