Inteligência paquistanesa 'acha que Bin Laden está morto'

Segundo o presidente do país, não há evidências sobre o paradeiro do terrorista saudita, foragido desde 2001

REUTERS

27 de abril de 2009 | 09h16

O presidente do Paquistão, Asif Ali Zardari, informou nesta segunda-feira que o paradeiro do líder da Al-Qaeda, Osama bin Laden, continua sendo um mistério e que existe a suspeita de que ele possa estar morto.

Falando à mídia internacional, Zardari informou que autoridades norte-americanas disseram não ter nenhuma pista a respeito do líder da Al-Qaeda, apesar dizerem habitualmente que é mais provável que ele esteja no Paquistão.

As agências de inteligência do próprio Paquistão também não estão informadas, disse Zardari.

"Não há novidade", disse o presidente. "Elas (as autoridades) evidentemente sentem que ele não existe mais, mas isto ainda não está confirmado, nós não podemos confirmar isto."

A rede de TV Al Jazeera divulgou trechos de uma gravação de áudio em março, na qual havia uma voz parecida com a veiculada em mensagens anteriores de Bin Laden.

Bin Laden escapou de todos esforços de captura desde que a Al Qaeda executou os ataques do dia 11 de setembro de 2001 nos Estados Unidos.

Se Bin Laden ainda estiver vivo, ele completou 52 anos no dia 10 de março, mas é de conhecimento geral que esteja doente.

Houve relatos de que ele teria morrido de causas naturais no passado, mas eles até agora não se confirmaram.

Tudo o que sabemos sobre:
PAQUISTAOBINLADEN*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.