Suo Takekuma/Kyodo News via AP
Suo Takekuma/Kyodo News via AP

Vulcão entra em erupção no Japão, mata 1 e fere 11 em estação de esqui

Seis dos esquiadores feridos são membros das Forças de Autodefesa do país que participavam de manobras de treinamento de inverno; fortes nevascas deixaram cerca de 200 pessoas feridas e provocaram o cancelamento de 50 voos

O Estado de S.Paulo

23 Janeiro 2018 | 03h06
Atualizado 23 Janeiro 2018 | 08h12

TÓQUIO - Um soldado morreu e ao menos 11 pessoas ficaram feridas, algumas em estado grave, depois que rochas de um vulcão em erupção atingiram esquiadores em uma estação nas montanhas da região central do Japão nesta terça-feira, 23. A ação desencadeou uma avalanche na região.

+ Vulcão volta a expelir lava nas Filipinas e milhares de pessoas deixam a região

Seis dos esquiadores feridos são membros das Forças de Autodefesa do Japão que participavam de manobras de treinamento de inverno, afirmou o ministro da Defesa, Itsunori Onodera. Todos foram resgatados, mas a maioria com ferimentos, e um deles morreu posteriormente, de acordo com a autoridade.

+ Fumaça do vulcão em Bali diminui; voos são retomados

A imprensa japonesa informou que a maioria das vítimas aparentemente foi atingida por rochas vulcânicas. Duas estariam em estado crítico e três em estado grave, segundo a emissora japonesa NHK.

Uma pessoa ficou presa na avalanche por algum tempo até ser salva por equipes de resgate, que incluíam membros das Forças de Autodefesa.

As autoridades informaram que 78 pessoas ficaram bloqueadas nas cabines do teleférico, que parou em razão do corte de energia.

O vulcão Kusatsu-Shirane, de 2.160 metros, entrou em erupção nesta manhã. Segundo a Agência Meteorológica do Japão, novas erupções não são descartadas, e as rochas podem chegar a até 2 km de distância.

Relembre: Vulcão entra em erupção no Japão

A agência de meteorologia pediu aos habitantes da área que não se aproximassem do monte Kusatsu Shirane depois de detectada uma leve atividade vulcânica. 

Nevascas

Cerca de 200 pessoas ficaram feridas e quase 50 voos foram cancelados nesta terça-feira em razão das fortes nevascas em Tóquio e no norte do Japão, que causaram alterações na rede de transportes e acidentes rodoviários.

Somente na capital japonesa, onde aconteceu a maior nevasca em quatro anos, com camadas de mais de 20 centímetros, 182 pessoas ficaram feridas, principalmente por escorregões e quedas causados pelo temporal, de acordo com números do departamento de bombeiros da capital.

Um total de 46 voos foram cancelados depois que, na véspera, mais de 300 voos domésticos e internacionais foram prejudicados pelas fortes nevascas. Cerca de 9 mil pessoas passaram a noite no aeroporto de Narita, em razão da interrupção nos serviços de trem e estradas.

Os trens da capital funcionavam com entre 20 e 40 minutos de atraso e muitos serviços que ligam Tóquio a províncias vizinhas permaneciam suspensos nesta manhã, embora os trens de alta velocidade funcionassem normalmente.

A principal companhia elétrica da capital, Tokyo Electric (TEPCO), pediu que se reduza o uso de energia depois que mais de 100 mil casas nas províncias de Kanagawa e Chiba sofreram cortes diante da demanda excessiva causada pelas baixas temperaturas, segundo um jornal local. / REUTERS, AFP e EFE

Mais conteúdo sobre:
Japão [Ásia] Vulcão Neve

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.