Economia e impeachment

Lourival Sant’Anna

26 Agosto 2018 | 14h48

O escândalo do Watergate só abalou Nixon quando a crise do petróleo fez a Bolsa cair. As ações subiram durante o escândalo Monica Lewinsky, e Clinton não sofreu impeachment. Quando declarou que seu impeachment levaria a um “crash” da economia, Trump talvez tenha invertido a ordem: um fim do ciclo de crescimento é que pode contribuir para sua saída – seja pelo impeachment ou pela não reeleição.

Clique aqui para ler minha coluna no Estadão