Bernd von Jutrczenka/DPA via AP
Bernd von Jutrczenka/DPA via AP

Alemanha proibirá entrada de viajantes do Brasil devido às novas cepas do coronavírus

Medida também inclui pessoas procedentes do Reino Unido, Portugal e África do Sul

Reuters, O Estado de S.Paulo

29 de janeiro de 2021 | 07h00

BRUXELAS — A Alemanha está preparando proibições de entrada para viajantes do Brasil, Reino Unido, Portugal e África do Sul para limitar a propagação das variantes mais contagiosas do coronavírus que atingem esses países, disse o ministro do Interior, Horst Seehofer, nessa quinta-feira, 28.

"Para proteger nossa população, não deve haver entrada de regiões onde essas variantes do vírus são galopantes", explicou durante uma reunião virtual com seus colegas da União Europeia.

Nesta semana, Portugal, Peru e Colômbia anunciaram a suspensão de todos os voos comerciais ou privados de e para o Brasil. As medidas dos governos português e peruano valem até 14 de fevereiro, com a restrição de Lisboa entrando em vigor nesta sexta-feira e a de Lima no domingo. A de Bogotá teve efeito imediato, com duração de 30 dias.

A Bélgica já proibiu os residentes de tirar férias no exterior até março para combater a propagação das variantes mais infecciosas do vírus, mas outros membros da UE rejeitam medidas radicais, como proibições de entrada ou viagens.

Seehofer afirmou que a Alemanha seguirá em frente com seus planos mesmo que a UE como um todo não concorde com tais medidas.

"Não podemos esperar uma solução europeia que atenda às nossas expectativas tão cedo, por isso estamos preparando medidas nacionais", ele disse.

O transporte de mercadorias e suprimentos médicos não será afetado pelas restrições que estão em discussão em Berlim, de acordo com Seehofer.

Enquanto isso, a União Europeia cortou o Japão de sua lista de países de onde os viajantes podem visitar o bloco sem restrições relacionadas à covid-19, como quarentenas ou testes obrigatórios. Após as mudanças, a lista será composta por apenas sete países: Austrália, China, Nova Zelândia, Ruanda, Cingapura, Coreia do Sul e Tailândia.

Apesar de a China estar na lista, viagens de lá só serão permitidas se as autoridades chinesas também permitirem a entrada de visitantes da UE. O requisito de reciprocidade não se aplica no caso dos outros países listados.

A lista também serve apenas como uma recomendação sobre regras de viagem. Cada país da UE pode definir suas próprias regras. Portugal, por exemplo, anunciou nessa quinta-feira que vai limitar as viagens de seus cidadãos ao exterior por quinze dias, a partir de domingo, devido à explosão de casos de coronavírus no país, que levou à renovação do estado de emergência sanitária.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.