Mike Hutchings/Pool Photo
Mike Hutchings/Pool Photo

Após reeleição, presidente do Zimbábue pede 'paz, união e amor'

Emmerson Mnangagwa agradeceu o resultado das urnas e disse que a nação passará por 'um novo começo'; oposição cobra divulgação de resultados

O Estado de S.Paulo

03 Agosto 2018 | 04h17

HARARE - O presidente do Zimbábue, Emmerson Mnangagwa, reeleito nas eleições gerais realizadas no início da semana, disse aceitar o resultado das urnas com humildade e pediu por união no país. Durante a apuração dos votos, confrontos entre manifestantes da oposição e forças militares terminaram com seis mortos.

"Esse é um novo começo. Vamos dar as mãos, em paz, união e amor, e juntos vamos contruir um novo Zimbábue para todos!", escreveu Mnangagwa, em rede social nesta sexta-feira, 3.

 

 

Ex-assessor do ditador Robert Mugabe e um dos articuladores de seu afastamento em novembro do ano passado, Mnangagwa foi reeleito na quinta-feira, 2, com 50,8% dos votos (2,46 milhões). Ele disputou o cargo com o líder opositor Nelson Chamisa, que teve 44,3%.

Pelas redes sociais, Chamisa exigiu que a Comissão Eleitoral do Zimbábue divulgue os resultados "apropriados e verificados" da primeira eleição nacional desde que Mugabe deixou o cargo. O líder da oposição afirmou ainda que "o nível de opacidade, deficiência de verdade, decadência moral e déficit de valores é "desconcertante". //REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.