Juan Karita / AP
Juan Karita / AP

Candidato de oposição na Bolívia diz que Evo não deve ser candidato em nova eleição

Carlos Mesa, que ficou em segundo lugar nas urnas com 36,51% dos votos, acusa o presidente de ser o responsável pela fraude na contagem

Redação, O Estado de S.Paulo

10 de novembro de 2019 | 15h52
Atualizado 11 de novembro de 2019 | 10h41

LA PAZ - O candidato boliviano da oposição Carlos Mesa disse neste domingo, 10, que o presidente Evo Morales não deve ser candidato em novas eleições depois que a Organização dos Estados Americanos (OEA) encontrou irregularidades na votação ocorrida em 20 de outubro.

Para Entender

Evo Morales, uma raposa política com dificuldades para se manter no poder

Presidente latino-americano há mais tempo no cargo busca quarto mandato em uma eleição difícil

Evo declarou neste domingo que convocará novo processo eleitoral e renovará o grupo que compõe o Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Segundo relatório produzido pela OEA, a votação de outubro, que deu a quarta vitória consecutiva a Evo, deveria ser anulada. A organização afirma que seus auditores identificaram “manipulações claras” do sistema de votação, tornando impossível a verificação do resultado das urnas.

Para Entender

Carlos Mesa, um velho conhecido da política boliviana

Historiador e jornalista de 66 anos era um ‘outsider’ no cenário político, mas se viu no olho do furacão em momentos determinantes da história do país

Evo, que chegou ao poder em 2006 como o primeiro líder indígena da Bolívia, defendeu sua vitória nas eleições, mas afirmou que irá seguir as recomendações feitas pela OEA. / REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.