Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Conheça outros presidentes e líderes mundiais que também pegaram coronavírus

Além do presidente Jair Bolsonaro, veja outros políticos ao redor do mundo que testaram positivo para a covid-19

Diego Kerber, O Estado de S.Paulo

07 de julho de 2020 | 16h30

Nesta terça-feira, 7, o presidente Jair Bolsonaro confirmou que o exame para covid-19 que realizou na noite anterior teve resultado positivo para a doença causada pelo novo coronavírus. O anúncio foi feito em frente ao Palácio da Alvorada para jornalistas de televisão.

O chefe do Planalto disse que sentiu alguns sintomas da doença e foi aconselhado a realizar o exame. Ele afirmou que chegou a apresentar febre de 38°C, mas disse que se sente bem. “Em comparação a ontem, estou ótimo. Estou até com vontade de dar uma caminhada”, afirmou.

Bolsonaro, no entanto, não foi o único presidente que testou positivo para o novo coronavírus. Outros chefes de Estado e políticos ao redor do mundo, tanto os que menosprezavam a gravidade da pandemia quanto os que tomaram medidas para conter o avanço do vírus, também tiveram a doença. 

Veja abaixo outros presidentes e políticos que tiveram coronavírus:

Boris Johnson, primeiro-ministro do Reino Unido

O caso do primeiro-ministro britânico foi um dos mais emblemáticos. Assim como o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e o próprio presidente Jair Bolsonaro, Boris Johnson também tentava tranquilizar a população afirmando que a covid-19 não era uma doença grave. Sua gestão só mudou a abordagem depois de um estudo científico revelar que, caso não fosse adotado o isolamento social na Inglaterra, 250 mil britânicos morreriam.

Em 5 de abril, o primeiro-ministro foi internado para exames depois de ter testado positivo para a doença dez dias antes. Ele chegou a receber oxigênio na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI), mesmo sem precisar de respirador, mas se recuperou e recebeu alta.

Justin Trudeau, primeiro-ministro do Canadá

Apesar de não ter feito exames e não ter sentido sintomas, o primeiro-ministro canadense, Justin Trudeau, ficou em isolamento junto com a mulher, em março, depois que ela testou positivo para covid-19. Ele ficou 14 dias em quarentena como medida de prevenção e continuou atuando de casa.

Juan Orlando Hernández, presidente de Honduras

Em 16 de junho, o presidente de Honduras, Juan Orlando Hernandéz anunciou que tinha contraído covid-19 e que estava recebendo tratamento adequado. No dia seguinte, ele foi internado no hospital militar da capital do país, Tegucigalpa. Ele ficou 16 dias internado e recebeu alta no último dia 2 de julho.

Príncipe Albert II, de Mônaco

Em março, o príncipe Albert II, de Mônaco, também foi confirmado com coronavírus. Apesar disso, ele não teve nenhuma complicação decorrente da doença e continuou trabalhando em isolamento social.

Francis Suárez, prefeito de Miami

O prefeito de Miami foi confirmado com covid-19 após visita da comitiva do presidente Jair Bolsonaro aos EUA em meados de março. Francis Suárez foi um dos líderes americanos que pediu a suspensão de voos aos Estados Unidos a partir do Brasil pelo risco de contaminação.

Nuno Nabian, primeiro-ministro da Guiné-Bissau

Em abril, o chefe de Estado da Guiné-Bissau, Nuno Nabian, também foi diagnosticado com coronavírus. Na época, foram até divulgadas informações falsas, publicadas inclusive pelo próprio primeiro-ministro, de que ele foi curado com alguns remédios caseiros.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.