Jung Yeon-je / AFP
Jung Yeon-je / AFP

Coreia do Norte testa míssil lançado de submarino

Lançamento coincide com o anúncio de negociações com os Estados Unidos sobre o impasse nuclear, marcadas para o sábado

Redação, O Estado de S.Paulo

02 de outubro de 2019 | 19h13

PIONGYANG - A Coreia do Norte fez nesta quarta-feira, 2, um novo teste balístico com um míssil lançado de um submarino, o que representa, segundo analistas, um avanço no arsenal do país. É o segundo teste em dois dias consecutivos.

O lançamento coincide com o anúncio de negociações com os Estados Unidos sobre o impasse nuclear, marcadas para o próximo sábado. 

Segundo a agência oficial norte-coreana KCNA, o míssil foi batizado de Pukguksong 3. O líder do país, Kim Jong-un parabenizou os responsáveis pelo teste do míssil mar-terra, ainda de acordo com a agência, em um indicativo de que Kim não presenciou o lançamento, como tem o hábito de fazer.

Na terça-feira, as Forças Armadas da Coreia do Sul afirmaram que a Coreia do Norte disparou vários mísseis em sua costa leste. Os projéteis foram lançados na cidade de Wonsan, segundo o Estado Maior Conjunto da Coreia do Sul.

Desde o fim de julho, a Coreia do Norte fez ao menos sete lançamentos de mísseis, sendo o mais recente em 10 de setembro. Naquele dia, os disparos ocorreram horas depois de o país oriental assinar uma nova resolução para retomar, no final deste mês, as negociações para a redução do seu arsenal nuclear, em conversas que se arrastam há anos com os Estados Unidos.

De acordo com a agência oficial norte-coreana, Kim Jong-un, que já havia presenciado um teste de lançamento do mesmo tipo de foguete múltiplo, disse que a capacidade do armamento havia sido “finalmente verificada em termos de operações de combate”.

Ainda conforme a agência estatal da Coreia do Norte, mais lançamentos deverão ser feitos com o mesmo dispositivo para que seja realizado um “teste de execução”, sem detalhar o que esse tipo de ensaio bélico poderia implicar. 

O governo do Japão afirmou nesta quarta-feira que um míssil norte-coreano caiu em águas japonesas. Foi o primeiro na costa do país após uma trégua de dois anos. / AFP e REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.