REUTERS/Jonathan Ernst (E) Aaron P. Bernstein (D)
REUTERS/Jonathan Ernst (E) Aaron P. Bernstein (D)

De saída, Tillerson exalta avanço com Coreia do Norte e diz que Rússia é ameaça

Secretário de Estado foi demitido pelo presidente Donald Trump e será substituído pelo diretor da CIA, Mike Pompeo

O Estado de S.Paulo

13 Março 2018 | 16h31

WASHINGTON - Horas depois de ter sua saída do cargo anunciada pelo presidente americano, Donald Trump, o secretário de Estado Rex Tillerson reivindicou para sua gestão à frente da diplomacia americana os avanços nas negociações diplomáticas com a Coreia do Norte e alertou para o “comportamento diplomático da Rússia”. Ele fica no cargo até o fim do mês.

Trump sugere que tem QI maior que seu secretário de Estado

“Ao trabalhar com nossos aliados, superamos as expectativas com a campanha de pressão diplomática sobre a Coreia do Norte”, disse Tillerson. Na semana passada, Trump reivindicou para si os avanços nas conversas com Pyongyang.

Pouco antes de embarcar para a Califórnia, onde visitará protótipos do muro que quer construir na fronteira com o México, o presidente americano afirmou que tomou a decisão em razão das discordâncias com Tillerson em assuntos-chave, como o acordo nuclear com o Irã.

Trump decidiu sozinho conversar com líder norte-coreano, diz secretário de Estado dos EUA

Tillerson, no entanto, alertou para o risco crescente de desestabilização trazido pela Rússia. “Ainda há muito trabalho a ser feito, principalmente para responder ao comportamento problemático russo”, acrescentou. 

De acordo com o diário The Washington Post, na sexta-feira Trump pediu que Tillerson deixasse o cargo, o que fez o chefe da diplomacia americana encurtar sua viagem pela África, de onde voltou ontem para Washington.

O diretor da CIA, Mike Pompeo substituirá Tillerson no Departamento de Estado e Gina Hapsel - atual vice-diretora da CIA - ficará encarregada da agência, se tornando a primeira mulher a comandar a principal organização americana de espionagem. Em nota enviada ao Post, Trump elogiou tanto Pompeo quanto Gina. /AP e AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.