US EMBASSY/AFP
US EMBASSY/AFP

EUA e China reforçam necessidade de 'compromissos mais fortes' contra mudanças climáticas

Países divulgaram comunicado conjunto se comprometendo a discutir ações específicas para amenizar o aquecimento global. Declaração marca retorno do diálogo entre americanos e chineses em relação à pauta

Redação, O Estado de S.Paulo

18 de abril de 2021 | 07h38

Em um comunicado conjunto divulgado neste domingo, 18, os Estados Unidos e a China concordam que compromissos mais fortes de combate às mudanças climáticas devem ser apresentados antes de uma nova rodada de negociações internacionais no final do ano. A declaração surge após reuniões entre o enviado especial do clima do governo americano, John Kerry, e seu correlato chinês, Xie Zhenhua, em Xangai, na última quinta e sexta-feira. 

"Os EUA e a China estão comprometidos em cooperar entre si e com outros países para enfrentar a crise climática", disse o comunicado divulgado a poucos dias da cúpula do clima. 

Os países também concordaram em discutir ações específicas, incluindo armazenamento de energia, captura de carbono e hidrogênio. Medidas para aumentar o financiamento de países em desenvolvimento para que mudem para fontes de energia de baixo carbono também está na pauta. 

Kerry chegou à China na última quarta-feira, 14, sob rígidos protocolos contra a covid-19 e foi transferido para um hotel em Xangai não aberto ao público. Esta foi a primeira visita de um funcionário de alto nível do governo de Biden ao país asiático desde que o novo presidente assumiu a Casa Branca. 

As negociações também marcam a retomada do diálogo climático entre os dois maiores emissores de gases do efeito estufa do mundo. As discussões bilaterais foram interrompidas durante a administração de Donald Trump, que retirou os EUA do acordo de Paris após alegar que o tratado punia injustamente as empresas americanas.

Na sexta-feira, o governo da China sinalizou que não está disposto a aceitar a liderança reivindicada por Joe Biden na questão do clima, criticando o histórico recente dos americanos no que diz respeito ao aquecimento global. 

Os EUA devem entregar em breve uma nova promessa de reduzir as emissões de gases de efeito estufa em uma tentativa de reconquistar a confiança de aliados estrangeiros após Biden trazer o país de volta ao acordo de Paris./REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.