Explosões em Beirute afetam navio da ONU e deixam feridos graves entre capacetes azuis

Explosões em Beirute afetam navio da ONU e deixam feridos graves entre capacetes azuis

O Brasil também integra a Unifil, mas nenhum militar brasileiro ficou ferido nas explosões, como explicou a Marinha

Redação, O Estado de S.Paulo

04 de agosto de 2020 | 18h48

BEIRUTE - Soldados da missão da ONU no Líbano (Unifil, na sigla em inglês), cujo navio estava ancorado no porto de Beirute, ficaram gravemente feridos nas violentas explosões que sacudiram a capital libanesa, anunciou na noite desta terça-feira, 4, a missão.

Os marinheiros feridos, "alguns dos quais gravemente", foram levados para "os hospitais mais próximos". Não foram dadas informações sobre sua identidade e nacionalidade. "Estamos com o povo e o governo libanês (...) e dispostos a dar assistência", acrescentou a Unifil, força multinacional de manutenção da paz presente no Líbano desde 1978. 

O Brasil também integra a Unifil, mas nenhum militar brasileiro ficou ferido nas explosões, como explicou a Marinha do Brasil em uma nota, mais cedo. "A Fragata Independência (onde estavam os brasileiros) encontra-se operando no mar, normalmente. O navio estava distante do local onde ocorreu a explosão", diz a nota./ COM AFP 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.