Kirill KUDRYAVTSEV/AFP
Kirill KUDRYAVTSEV/AFP

Justiça russa determina prisão preventiva de Navalni e opositor convoca manifestação contra Putin

Em vídeo gravado da sala de audiência, opositor de Putin convocou apoiadores; justiça determinou que Navalni cumpra 30 dias de prisão preventiva

Redação, O Estado de S.Paulo

18 de janeiro de 2021 | 13h28

Principal líder da oposição na Rússia, Alexei Navalni convocou o povo russo a sair às ruas e se manifestar contra o governo do presidente Vladimir Putin. A convocação foi feita nesta segunda-feira, 18, através de um vídeo gravado na sala de audiência, minutos antes da Justiça determinar 30 dias de prisão preventiva a Navalni.

"O que estes bandidos (no poder) temem mais, vocês já sabem, é que a gente saia às ruas (...) então não tenham medo, saiam à rua, não por mim, mas por vocês, por seus futuros", disse no vídeo, que foi divulgado nas redes sociais.

Navalni voltou à Rússia nesse domingo, 17, após ficar meses na Alemanha se recuperando de um envenenamento por Novichok, um agente nervoso soviético, usado com certa frequência contra opositores do Kremlin. Antes mesmo de passar pelo controle de passaportes, Navalni foi preso e afastado de sua família e advogados.

Na manhã tarde desta segunda-feira (manhã no Brasil), a Justiça russa determinou que o opositor cumpra 30 dias de prisão preventiva pelo descumprimento de regras estabelecidas para a suspensão de um processo em 2014. Após esse período, que se encerra em 15 de fevereiro, ele ainda corre o risco de ser condenado a prisão, quando o mérito do caso for julgado.

Os advogados de Navalni anunciaram que vão recorrer da decisão da Justiça, a qual classificaram como "absolutamente ilegal". "O detiveram na fronteira, o levaram para local desconhecido, não permitiram que ele contatasse seu advogado, o julgamento aconteceu na delegacia e o prenderam por 30 dias", disse Kira Yarmish, uma das porta-vozes do líder opositor.

"Este é o grau máximo de ilegalidade", disse o próprio Navalni no vídeo.

Além do caso em questão, o opositor também enfrenta três outros processos criminais separados, os quais afirma serem inventados por Putin e seus aliados.

O Kremlin não respondeu imediatamente às falas de Navalni, mas havia dito anteriormente que o político de 44 anos deve enfrentar a justiça como qualquer outro cidadão se tiver feito algo errado./ AFP, EFE E REUTERS

Tudo o que sabemos sobre:
Vladimir PutinAlexei NavalnyRússia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.