Lori Van Buren / Albany Times Union / AFP
Lori Van Buren / Albany Times Union / AFP

Limusine envolvida em acidente que matou 20 em Nova York operava irregularmente

Segundo autoridades, veículo não havia passado em inspeção de segurança e motorista não tinha licença necessária para operar o automóvel

O Estado de S.Paulo

08 Outubro 2018 | 16h23

SCHOHARIE  - A limusine envolvida em um acidente que matou 20 pessoas no interior do Estado de Nova York, no sábado 6, havia recentemente sido reprovada em uma inspeção de segurança e não deveria estar na estrada, disse o governador Andrew Cuomo nesta segunda-feira, 8. Além disso, segundo Cuomo, o motorista não estava devidamente licenciado para operar o veículo.

O governo do Estado ordenou que a empresa dona do veículo, a Prestige Limousine, paralise suas operações enquanto a investigação sobre as causas do acidente estiverem em andamento. "Na minha opinião, o dono desta empresa não tinha motivo algum para colocar um veículo com defeito nas ruas", disse. "A Prestige tem muitas perguntas para responder."

A Administração Nacional de Segurança no Transporte Rodoviário disse que está investigando o acidente. O veículo, segundo o governador, foi reconstruído de maneira que violava a lei federal.

A empresa não pode ser contactada nesta segunda-feira. Registros federais mostram que a Prestige passou por cinco inspeções e teve quatro veículos retirados de serviço nos últimos dois anos.

O acidente matou 2 pedestres e 18 ocupantes da limusine, que carregava duas irmãs, parentes e amigos para uma cervejaria. Segundo as famílias das vítimas, o grupo ia a uma festa de aniversário. / AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.